sábado, 11 de outubro de 2008


Ciência X Senso Comum

A ciência nunca vai se tornar senso comum.

Ciência é uma forma de interpretar a realidade que pressupõe a previsão e o controle do seu objeto de estudo.
O senso comum não atende a essas propriedades, é um conhecimento que não utiliza metodologia sistemática e não se apóia em dados empíricos na construção de suas constatações. Difere da religião por não se remeter a entidades imateriais e/ou sobrenaturais na explicação dos fatos da realidade. Difere da arte porque não codifica a realidade em linguagem representativa.

Todas as formas de conhecimento/interpretação do mundo são comportamentos. A ciência por si mesma não existe, nem a arte, nem a religião e nem o senso comum. Tanto a ciência quanto o senso comum só existem quando alguém responde cientificamente ou por senso comum. Existe um fazer científico, um conjunto de comportamentos de diversos organismos, ou mesmo de um único, desde que atenda ao pressuposto de previsão e controle. No entanto, vale ressaltar que a previsão e controle somente são possíveis quando as relações causais entre as variáveis são conhecidas. No senso comum, as variáveis não são conhecidas, e as variáveis ambientais que afetam o responder dos organismos são outras.

Por exemplo, tenho uma amiga, não acadêmica, que certa vez me disse que nao podia ir tomar banho porque tinha acabado de comer bolo com refrigerante. Quando lhe indaguei o motivo desse comportamento, ela respondeu "sei lá, minha mãe sempre diz pra não entrar na piscina depois de comer". No caso dela, a variável de controle do seu responder era uma regra mantida socialmente, mas ela não fazia idéia de quais eram as variáveis aversivas relacionadas a "entrar na piscina depois de comer". Supôs ela, que a variável crítica era a água, portanto não podia também tomar banho após comer, e provavelmente ela também não andaria sob chuva após comer. Esse comportamento é de senso comum, porque não se conhece as variáveis de controle. Todavia, expliquei a ela qual era o problema em entrar na piscina depois de comer. O problema não é a água, mas sim a atividade física que pode concorrer com a atividade digestiva e concentrar demais o fluxo sangüíneo em áreas distantes do cérebro e prejudicar a oxigenação deste, podendo causar até um desmaio. Desmaiar na piscina não é muito aconselhável, principalmente se ninguém o estiver observando. Esse é o perigo de entrar na água após comer. Agora ela conhece a relação causal entre os eventos, então se ela não entra na piscina porque assim ela pode evitar um desmaio em função da complicação do fluxo sangüíneo, isso será um comportamento científico.


Ciência e Senso Comum não são COISAS, com existência própria, são comportamentos. O cientista é aquele que responde a relações causais e é capaz de identificá-las. O senso comum não pode identificar as variáveis. São coisas distintas e uma não pode se tornar outra. Se toda a população começa a responder como os "cientistas", há duas possibilidades: ou eles são capazes de identificar as variáveis e, portanto, estão todos respondendo cientificamente, ou então respondem por tradições culturais mantidas por contingências sociais e não são capazes de identificar as relações causais, continuam vendo o mundo pelo senso comum. Os comportamentos não são coisas. As topografias das respostas do senso comum e da ciência podem ser idênticas, mas não é o mesmo comportamento. A ciência não pode se tornar senso comum porque o comportamento do senso comum não é o mesmo do científico, ainda que as topografias sejam iguais. As respostas podem ser iguais, mas se relacionam de modo diferente com o ambiente.


Rubilene.

Nenhum comentário:

Postar um comentário